O MISSIONÁRIO

OBALUAELá estava eu novamente sentado na sala de espera do pronto socorro do hospital público, observando as pessoas passarem de um lado para outro, com certeza cada um com sua estória de dor. Não tenho pressa, devo manter a calma e esperar as coisas acontecerem. Devo ter viajado nos pensamentos algum tempo pois, não percebi o casal sentados na beira do banco duro. Parecem muito tristes, e dividem a forças num abraço apertado, molhado pelas lágrimas misturadas de ambos. Me apoio nas mãos e deslizo no banco para perto deles:
>será que eu poderia ajudar vocês de alguma forma? A resposta da mulher foi rápida..
não. Não há nada que possa fazer por nós..
>Alguem da família está internado aqui?
sim, nossa filhinha ficou doente, e temos que vir aqui com frequência para que ela possa receber os medicamentos, estamos perdendo a esperança ,pois ela parece piorar a cada dia,…e o senhor?….espera demorada para ser atendido?
> Ha cerca de um ano eu estava sentado neste mesmo banco, desanimado do tratamento que recebia, porque eu me sentia cada vez mais debilitado., até que um dia um homem sentou-se aqui do meu lado e começamos a conversar.  Depois de algum tempo percebi que só eu tinha falado, mas confesso me senti bem melhor. Quando permiti, ele falou que trabalhava em um templo de umbanda e que ficaria muito feliz se eu fosse até lá , pois com certeza eu iria encontrar a ajuda necessária para o meu restabelecimento. Eu havia pensado em todas as alternativas imagináveis, tomei todo tipo de chá de ervas, as mais exóticas, viajei para consultar os maiores especialistas, porém sem resultados positivos!….inconcebível portando para um homem como eu visitar um templo de umbanda!, ….mas ele insistiu, e perguntou o que eu tinha a perder? Subitamente o gentil cavalheiro levantou-se, colocou um papelzinho na minha mão suada, deu um sorriso marcante, e falou que estaria esperando por mim. Nos dias que se seguiram minhas dores aumentaram me impedindo de fazer coisas importantes, aquelas, que dão sentido a minha vida. Passei diversos dias e noites acordado, conflitando com meus conceitos de vida, tentando arrumar forças e coragem para pegar aquele pedaço de papel e ir até o templo de umbanda que aquele desconhecido simpático me dera.
e aí o senhor foi?
> sim, eu fui…..graças a Deus, eu fui…..
estão demorando para atender o senhor….não é mesmo?
> eu não estou esperando para ser atendido……já posso ir embora,…… antes porém, queira dar a vocês este pequeno pedaço de papel…..estarei esperando por vocês….

Por: Wilson de Omulu

Anúncios

Sobre atabaque26

Nosso pequeno grupo de Umbanda, tem como principal objetivo pesquisar e aprender com nossos amigos espirituais, sendo a verdade e seriedade conduta obrigatória em todos os membros da nossa gira. Saravá Caboclo Rompe Mato.
Esse post foi publicado em Estórias, Marinheiros e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O MISSIONÁRIO

  1. Milly Pellegrini disse:

    Adorei o ensinamento de “ajuda ao próximo” contido no texto. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s